Com a inflação acima de 7% ao ano, títulos públicos podem ser a bola da vez

///Com a inflação acima de 7% ao ano, títulos públicos podem ser a bola da vez

Com a inflação acima de 7% ao ano, títulos públicos podem ser a bola da vez

Com a inflação acima de 7% ao ano, a Poupança passa a ter uma atratividade muito menor em relação aos títulos públicos. E, apesar de nem todo mundo saber, qualquer pessoa pode ter acesso a esse tipo de investimento, com um simples cadastro em um agente de custodia. Trata-se de uma excelente forma de diversificar os recursos da Poupança para rentabilizar melhor o patrimônio.

Esse é o tema do primeiro de uma série de mini cursos gratuitos que o Ibef-CE (Instituto Brasileiro de Executivos de Finanças), o Corecon (Conselho Regional de Economia do Ceará) e a PAX Corretora de Valores e Câmbio S/A iniciam dia 26, às 19h, no auditório da PAX (Avenida Dom Manoel, 1020, Centro). Até o final do ano, serão discutidos ainda temas como Previdência; Planejamento financeiro; Dez investimentos para viver de renda; e Fundo imobiliário. Mais informações no escritório do Ibef-CE, pelo 32216531.

A seguir, entrevista exclusiva com o palestrante, o especialista de Investimentos na PAX Corretora de Valores e Câmbio S/A, Leonardo Sbardelotto. Caso o tema seja de interesse da editoria, podem utilizá-la como acharem melhor.

1 – Em um momento no qual a inflação pode estar tirando parte do investimento da poupança, quais são os investimentos mais indicados?

Leonardo Sbardelotto – Atualmente, as aplicações em poupança que rendem em torno de 7,20% estão remunerando o dinheiro abaixo da inflação que está em 9%. Uma alternativa de investimento para passar a ter o rendimento acima da inflação, com um risco muito baixo, igual a Poupança, seria investir em títulos do governo federal atrelados à Taxa básica de juros Selic, que hoje rendem 13,85% depois das taxas do tesouro direto. Investimento com disponibilidade de resgate todos os dias. Os títulos Selic rendem 50% a mais que a Poupança depois do
imposto de renda.

2 – Por que os títulos públicos atraem tantos investidores?

Com a baixa rentabilidade da Poupança, os investidores estão buscando os títulos públicos do governo como uma alternativa de investir seu dinheiro e ganhar muito mais do que a Poupança. Em 2015, o tesouro direto teve um aumento de 45% dos investidores no programa. São mais de 6500 novos investidores pessoa física. O Nordeste representa 7,4% de todos os investidores.

3 – Quais são os títulos públicos mais procurados por quem deseja investir?

Os títulos mais procurados para quem busca ter um investimento parecido com a Poupança, mas com um retorno bem acima, é o tesouro Selic. Como disse, este título pode ser negociado todo os dias como a poupança. Os investidores que buscam proteger seu patrimônio da inflação já investem em títulos do tesouro IPCA com pagamento de juros semestrais. Desta forma, se a inflação continuar nos patamares de hoje, de 9 %, os mesmos estão pagando 15% ao ano. Quando o investidor faz um investimento na Poupança, ele empresta o dinheiro para o
banco, quando ele compra os títulos públicos está emprestando para o governo federal. Quando falamos de risco soberano, este risco é o menor que existe na economia de um país.

4 – Isso implica na ausência de riscos?

O investimento em títulos públicos é considerado de baixo risco, mas isto não implica na ausência de riscos, por isso é importante que você esteja ciente dos mesmos. O primeiro risco é o de crédito, que é a probabilidade do devedor, no caso o governo federal, não honrar a dívida, ou seja, não lhe devolver o valor investido mais os juros. Atualmente esta possibilidade é considerada pouco provável, o que torna o título público um dos investimentos mais
conservadores e seguros. Outro risco é o de liquidez, que corresponde a capacidade de transformar o título em dinheiro antes do vencimento, ou seja, a sua liquidez. Em relação a este risco, o Tesouro Nacional garante a recompra diária dos títulos. Ressalva-se que esta garantia aplica-se somente aos títulos públicos federais adquiridos através do Tesouro Direto. E, por último, o risco de mercado, que tem a ver com a variação do preço do título público este risco não se aplica ao tesouro SELIC.

5 – Qual a diferença entre investir no Tesouro Prefixado, Tesouro Selic ou Tesouro IPCA+?

O Tesouro Selic (LFT) é um título pós‐fixado, cuja rentabilidade segue a variação da taxa SELIC, a taxa básica de juros da economia. Sua remuneração é dada pela variação da taxa SELIC diária registrada entre a data de liquidação da compra e a data de vencimento do título, acrescida, se houver, de ágio ou deságio no momento da compra. O Tesouro IPCA+, com Juros Semestrais (NTN‐B), é um título pós‐fixado, cuja rentabilidade é composta por uma taxa anual pactuada no momento da compra mais a variação do IPCA, índice de inflação oficial do governo brasileiro, calculado pelo IBGE. Possui fluxos periódicos de pagamento ao investidor (cupom semestral de juros), a uma taxa de 6% aa, pagos semestralmente. A rentabilidade é dada pela taxa anual de juros mais a variação do indexador até o vencimento. Tesouro Prefixado (LTN) é um título prefixado, o que significa que sua rentabilidade é definida no momento da compra, desde que o investidor permaneça com ele até o seu vencimento. A rentabilidade é dada pela
diferença entre o preço de compra do título e seu valor nominal (valor de face) no vencimento, sempre R$ 1.000,00.

6 – Do ponto de vista prático, qual a sua orientação para o pequeno investidor (por exemplo, até R$ 50 mil)?

O Tesouro Direto é atualmente um dos mais poderosos instrumentos para as pessoas físicas construírem um bom patrimônio, com alta rentabilidade e risco baixo. Com a inflação acima de 7% ao ano, a poupança passa ter uma atratividade muito menor em relação aos títulos públicos. Hoje, você deve deixar aplicado na poupança somente os recursos para uma emergência que não pode esperar mais do que um dia pois os títulos do governo SELIC oferecem o resgate em 1 dia útil, desta forma você terá um rendimento bem maior com suas aplicações. Já os interessados em proteger seu patrimônio da inflação, a melhor opção são os títulos Tesouro IPCA que oferece uma rentabilidade real, ou seja, sempre vai receber uma taxa acima da inflação, esta opção é muito utilizada por investidores para aposentadoria.

Leonardo Sbardelotto é MBA em Finanças e Especialista de Investimentos pela ANBIMA – Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais ). 15 anos de experiência. ANBIMA é a principal entidade certificadora dos profissionais dos mercados financeiro e de capitais brasileira. O Programa de Certificação Continuada tem por finalidade aumentar a capacitação e elevar os padrões éticos dos profissionais que atuam nesses
mercados na comercialização de produtos de investimento.***END OF FILE*** O Tesouro Direto é, atualmente, um dos mais poderosos instrumentos para as pessoas físicas construírem um bom patrimônio, com alta rentabilidade e risco baixo.

2017-10-24T03:34:12+00:00 outubro 20th, 2015|Categories: Releases|
X